TV Câmara

Tribuna Livre destaca projeto “Vida no Trânsito” e ações de pesquisa em Ciências Agrárias

quarta-feira, 7 Agosto, 2019 - 18:17

O crescente número dos desastres com vítimas fatais e com grandes sequelas no trânsito tem sido alarmante em todo o mundo, e Florianópolis não poderia ser diferente. O Brasil ocupa a quinta posição dos países com mais mortes, uma preocupação que tem despertado uma rede de organizações públicas, empresariais e da sociedade civil, para o objetivo de reduzir o número de mortes e vítimas graves relacionadas ao trânsito. “No mínimo temos uma morte por semana no trânsito de Florianópolis. E cinquenta ficam feridas. A fiscalização salva vidas e importante essa fiscalização que tem sido feito na nossa cidade”, destaca Ana Cristina Vidor, integrante do Grupo de Informação da Rede Vida no Trânsito.

A Rede Vida no Trânsito utilizou o espaço da Tribuna Livre da Câmara na tarde desta terça-feira (06/08) para falar sobre os vários desastres que acontecem no sistema viário de Florianópolis. Ana Cristina destacou que atualmente todos os moradores estão sob algum risco, sejam eles pedestre, ciclista, motociclistas ou condutores de carros. 

O vereador Pedrão (PP), autor do requerimento, lamentou os dados apresentados e reforçou a importância do legislativo em criar políticas públicas para a cidade para enfrentar esse problema. “Florianópolis é uma cidade que respira qualidade de vida, mas que precisa elevar através do seu trânsito. Não é justo pessoas perderem as suas vidas por desrespeito a legislação ou por infraestrutura inadequada. Temos que incentivar e conscientizar as pessoas”, afirmou o vereador.

 

Pesquisa traz avanços para a agricultura

 

            Ainda na Tribuna Livre, membros do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Santa Catarina utilizaram o espaço para apresentar ações importantes que são realizadas nos campos de pesquisa e disponíveis a toda população. O diretor do Centro de Ciências Agrárias, Walter Quadros Seifért, falou sobre a contribuição do setor no desenvolvimento da agricultura no país, destacando a maricultura, a produção do mel e a reciclagem através da compostagem.

“A universidade tem uma contribuição histórica e por isso a UFSC é a quarta do país nessa área. Ela está com a sociedade dia a dia desenvolvendo projetos que têm impactos diretos em desenvolvimento de tecnologias com aplicação imediata às causas sociais,” afirma Walter. Para o autor do requerimento, vereador Marquito (PSOL), o CCA é um espaço importante na formação de pessoas, trabalho e desenvolvimento do setor primário da economia catarinense e do Brasil. “A cada dia ali novos projetos de extensão e pesquisa são desenvolvidos para beneficiar a população. Precisamos mostrar e contrapor os recentes cortes feitos pelo ministério da Educação nas universidades mostrando para a sociedade o que de fato é o trabalho realizado por eles.”