Text Resize

-A A +A

Tema

Current Theme: Padrão

CÂMARA DEVOLVE VALOR HISTÓRICO DE R$ 6,8 MILHÕES PARA PREFEITURA
31ef039e-c9c9-4fb0-bc2a-94edc3f2de52

O presidente da Câmara de Vereadores de Florianópolis, vereador Guilherme Pereira (PR), na manhã desta quinta-feira (28/12) realizou uma coletiva de imprensa para apresentar um balanço do primeiro ano no comando da Casa. Como marco histórico, a Câmara em 2017 devolverá ao Executivo o valor de R$ 6,8 milhões. Em 2016 foram repassados R$ 753 mil. O orçamento do Legislativo neste ano foi de R$ 60 milhões com previsão de R$ 65 milhões para 2018.

Guilherme Pereira, apontou ainda, o impacto positivo que a devolução de recursos ao Executivo vai trazer para a cidade. “Esses R$ 6,8 milhões devolvidos foi articulado pensando no bem da população e que vai ajudar a Prefeitura em desenvolver trabalhos na área da Educação, Saúde, Cultura, Obras e Saneamento básico de Florianópolis”, afirmou.

O montante devolvido é fruto de medidas administrativas tomadas pelo presidente em conjunto os 22 vereadores. A primeira foi a de abrir mão da verba indenizatória de gratificação concedida ao vereador que ocupa a presidência da Casa. A segunda foi a devolução do prédio alugado que ficava localizado na Rua Arcipreste Paiva e a redução do contrato de informática com o CIASC. Por fim, a concessão de medalhas, troféus e diplomas em 2017 não foram custeadas pela Câmara e sim por cada vereador que for autor das indicações de honrarias.

DIFICULDADES

O presidente relembrou os momentos delicados de 2017. “Tivemos um início de ano difícil com apreciação de 40 projetos enviados pelo Executivo em janeiro, e mesmo, com a renovação de 40% dos vereadores, conseguimos realizar um bom trabalho em prol da cidade”.

“Logo em seguida, tivemos o projeto que transformou a Comcap em uma autarquia. Foi um período intenso com funcionários ocupando o prédio da Câmara, mas que felizmente com diálogo conseguimos chegar a uma decisão”, concluiu Guilherme Pereira.

METAS PARA O PRÓXIMO ANO

A Câmara para 2018 tem como propostas projetos na área de inclusão. O primeiro é a implantação de intérpretes de Libras nas sessões e de estágio de jovens em condições de vulnerabilidade social e renda familiar de até dois salários mínimos, além de adotar mais medidas de transparência do Legislativo, com um novo site e a digitalização de mais de 2,5 mil pastas que estão no arquivo da Câmara de Vereadores.

Notícias Relacionadas