TV Câmara

Retorno das aulas presenciais na Rede Pública Municipal é tema de Reunião Ampliada na CMF

quinta-feira, 8 Abril, 2021 - 19:28

Os desafios e as necessidades das unidades de ensino para o retorno das aulas presenciais no município de Florianópolis foram temas de reunião ampliada realizada pela Comissão de Educação  na tarde desta quinta-feira (08/04), com representantes das Secretarias de Saúde e Educação, além da Vigilância Sanitária e Epidemiológica, Conselho Municipal de Educação, Sindicato das Escolas Particulares, o médico pediatra Dr. Cecim e Sintrasem.

O principal foco da reunião foi sobre a desigualdade no ensino entre as unidades públicas e privadas. "A conversa hoje sobre a retomada da rede municipal é sim sobre as crianças mais vulneráveis, sobre a parcela mais vulnerável da população. Que a gente possa tomar providências para construir um cenário em que as crianças possam ter uma possibilidade de futuro, sem continuar fomentando a desigualdade", disse a vereadora Manu Vieira (NOVO), vice-presidente da Comissão, no sentido de que todas as escolas particulares já retornaram ou estão retornando com as aulas presenciais.

Nesse sentido, o vereador Diácono Ricardo (PSD) levanta a questão das crianças da rede pública que estão passando necessidades alimentares pela falta da merenda. "Muitas crianças hoje dependem da merenda escolar e estão fora da sala de aula. Embora o estudo remoto ajude, o lugar de criança é dentro da sala de aula."

O Secretário Municipal da Educação, Maurício Fernandes, esclareceu sobre a retomada das atividades através do retorno gradativo e não integral dos alunos e docentes. "Quando falamos de retorno, não estamos falando do retorno dos 31 mil alunos ou dos cinco mil professores. Há um limite, e esse limite é no máximo de 50%", afirma. Ele lembra ainda o direito que os pais têm de escolher se desejam que seus filhos retornem ou não às aulas presenciais, podendo mantê-los no ensino híbrido.

A fiscalização contínua das condições das unidades de ensino e a promoção da segurança sanitária de toda a comunidade escolar foram alguns pontos abordados pelo vereador Marquito (PSOL) para que seja realizado um retorno seguro. "Eu acho que a gente consegue evoluir, consegue ter uma cidade que dá uma referência e tem condições pra dar essa referência pro Brasil inteiro", afirma o parlamentar. 

Como sugestão, o vereador Afrânio (PSOL) questionou a possibilidade de ser desenvolvido uma espécie de Covidômetro da educação, alternativa que será avaliada pela Secretaria.